• Edson Pavão

Visto D7: como comprovar renda?



Já falamos aqui a respeito do visto D7, muito utilizado por aposentados ou por quem vive de rendimentos e deseja morar em Portugal. Agora, vamos falar especificamente sobre como comprovar renda solicitar o visto D7.


O intuito dessa categoria de visto é justamente atrair para Portugal pessoas que já tenham um rendimento mensal garantido. Tanto que um dos principais requisitos para conseguir esse visto é comprovação de renda, que deve ser a líquida.


Ou seja, o que conta no seu processo de emissão do visto D7 é o valor que você recebe após os descontos, caso aplicáveis. Leia este post e saiba como comprovar renda para o visto D7!


Como você pode comprovar renda para conseguir o visto D7?

O governo português é interessado em conceder o visto D7 para cidadãos de outras nacionalidades viverem em Portugal porque essas pessoas que têm rendimentos acabam investindo no país também, seja comprando casa, investindo em empresas portuguesas ou até mesmo abrindo o próprio negócio.


Visto D7: comprovação de renda para aposentados e pensionistas

Se você é aposentado, pensionista ou tem condições de viver de algum tipo de renda, e deseja morar em Portugal através da emissão do visto D7, a comprovação para esses casos pode ser feita por:

  • Documento que prove o recebimento da aposentadoria ou de pensão;

  • Declaração do imposto de renda.

Visto D7: comprovação de renda para locadores

Quem tem imóveis alugados e vive dessa renda passiva, a comprovação de renda para aprovação do visto D7 pode ser por:

  • Declaração do imposto de renda, onde conste a relação dos imóveis do seu patrimônio;

  • Contrato de aluguel do imóvel, para comprovar a locação;

  • Recibos dos aluguéis.

Visto D7: comprovação de renda para investidores

Caso você tenha investimentos como sua fonte de renda total ou parcial, para conseguir o visto D7 - e consequentemente sua autorização para morar em Portugal - é preciso comprovar que os rendimentos dessas aplicações financeiras rendem pelo menos:

  • um salário mínimo português por mês para o primeiro adulto;

  • 50% desse valor para o segundo adulto;

  • 30% para cada filho.

Em valores atualizados de 2022, o salário mínimo em Portugal equivale a 705 euros.


Para comprovar a renda proveniente dos seus investimentos, apresente esses documentos:

  • Declaração do imposto de renda;

  • Extratos bancários com os investimentos e os rendimentos;

  • Se você investe com alguma corretora de valores, apresente o seu extrato de investimentos, mostrando as movimentações e comprovantes de rendimentos.

Visto D7: comprovação de renda de direitos autorais

Para quem recebe valores de direitos autorais, como escritores, artistas, músicos e demais criadores, que recebem pelas suas criações, podem comprovar renda para pedir o visto D7 em Portugal com esses documentos:

  • Contratos com empresas que pagam o “royalty” dos direitos autorais;

  • Extrato bancário com as informações dos recebimentos;

  • Extrato do ECAD (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição), que é o órgão que faz a arrecadação e distribuição de direitos autorais no Brasil;

  • Declaração do imposto de renda.

Agora é só você reunir esses documentos e dar entrada no pedido de visto!


Precisando de ajuda para entrar com seu pedido de cidadania portuguesa? Agende agora mesmo uma consultoria online com a nossa equipe de assessoria jurídica e realize seu sonho de ter a dupla nacionalidade!

16 visualizações0 comentário